Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estamos Sozinhos?

Posso te dizer o que é verdade. Tu formas a tua própria opinião.

Estamos Sozinhos?

Posso te dizer o que é verdade. Tu formas a tua própria opinião.

As Razões das Corridas Espaciais nos Tempos Actuais

Moarn Stjer, 25.06.19

A corrida ao Espaço pelas nações super-potências é um sinal de que há mais do que aquilo que nos contam sobre o Universo. Se não houvesse nada de interesse para essas nações, com certeza que não haveria uma corrida para conquistar o Espaço.

Imagem de Jonny Lindner por Pixabay 
Nunca se viu uma corrida tão grande como nestes últimos tempos para conquistar o Universo. Dizem que é a última fronteira para conquistar. 
Não acredito que seja apenas uma questão de expansão espacial. Caso assim fosse, as nações trabalhariam em conjunto e não andariam a competir para ver quem chega primeiro a onde.
Existe tanto material secreto que não é divulgado pelas agências espaciais que de certeza iriam revelar coisas que abalaria as estruturas com que nos têm manipulado anos a fio, de forma a nos controlar.
É do interesse deles que nos mantenhamos ignorantes, principalmente em saber que há mais alguém a habitar o Universo, para além de nós. Se assim não for, jamais teriam possibilidade de desenvolver os seus programas secretos, pois, deixariam de conseguir financiamento para esses propósitos, já que haveria uma revolta popular à escala mundial.
Acredito que essas agências espaciais funcionam como uma fachada para fazer circular dinheiro dos contribuintes para financiar programas secretos que não abonam a favor da Humanidade.
O real interesse dessa corrida é ver quem consegue mais tecnologia alienígena para desenvolver em outras tecnologias para que possam criar novos aparelhos que venderam para controlar pessoas, sociedades, nações, economias, etc.
Não se trata de uma corrida ao Espaço pelo descobrimento, porque, essa informação eles já a possuem à muito tempo. Trata-se de uma corrida com interesses financeiros apenas, os quais têm prejudicado o mundo.

Por que razão não existirão extraterrestres?

Moarn Stjer, 24.06.19

Não existe motivo plausível para considerar que não existam extraterrestres. A probabilidade de existirem seres de outros planetas é uma realidade que mais cedo ou mais tarde todos têm de assumir.

Imagem de Thor Deichmann por Pixabay 

Considerar que os seres humanos são os únicos seres vivos inteligentes em todo o Universo, é o extremismo do egocentrismo e da asneira intelectual. Qualquer ser pensante, em pleno das suas faculdades e elementos de análise, jamais admitirá que somos o único planeta a comportar vida. É uma afirmação descabida, retrogada e absolutamente restrita, que o Ser Humano é o único ser inteligente em todo o cosmo.
A imensidão do Universo sugere o contrário, tais como as provas que se têm juntado ao longo dos anos por especialistas e amadores. Há, com toda a certeza, vida e vida inteligente no universo.
Temos as provas históricas, em que há conhecimentos bastante avançados para a época e a execução de alguns monumentos arquitetónicos indiciam que possa ter existido contacto com seres extraterrestres. Não é só as construções em si que sugerem esse tipo de contacto, mas, os próprio registos que os humanos da antiguidade deixaram, apresentam-se como provas de contacto.
Mas, se por um lado as provas da antiguidade podem ser questionadas, há os relatos recentes de pessoas que se encontraram envolvidas por algum modo com esses seres extraterrestres que, apesar de também serem questionáveis, reforçam a ideia de que há mais do que o nosso planeta Terra.
Refiro-me, essencialmente, às abduções, encontros imediatos, avistamentos, circulos em campos de colheitas, testemunhos de pessoas que trabalharam em áreas ultra secretas de governos mundiais, etc.
Há muito informação por onde se pode pegar e trabalhar para provar que há vida inteligente além da Terra. E a condição de crença que hoje ainda se vive é resultado da falta de abertura da informação pelas entidades que a controlam. Reparem como à séculos atrás cientistas eram excomungados e queimados em fogueiras por afirmar que a Terra era redonda?
É verdade que hoje em dia, há muitas pessoas que querem voltar a esse pensamento medieval, apenas por falta comparação das informações, ou por não serem imparciais na análise das evidências.
Não quero que de forma alguma passe a acreditar que há extraterrestres apenas porque eu digo que há. É preferivel continuar a não acreditar, do que viver pelas ideias de alguém. Mas, quero que faça o seguinte. Veja as informações que há espalhadas pela internet sobre os vários pontos de vista sobre o assunto. Consulte o que dizem os cepticos, religiosos, crentes, cientistas, etc. Analise tudo isso e tire as suas próprias conclusões. Participe em forúns, debates e construa a sua própria ideia sobre o assunto.

Cientista propõe eliminar religião para o "bem da humanidade"

Moarn Stjer, 23.06.19

Edward Osborne Wilson, ou mais conhecido como "o pai da sociobiologia" argumenta que a Terra está sofrendo "uma morte através de mil feridos" por causa da religião e que deve desaparecer em benefício do progresso humano.


Em uma edição anterior do New Scientist, Wilson explicou que seu próximo livro analisaria o futuro dos seres humanos e da Terra.
O biólogo vencedor do Prêmio Pulitzer alertou que as pessoas ainda não haviam percebido que a "estrutura tribal" estava destruindo o planeta com "mil cortes", segundo uma transcrição parcial obtida pelo International Business Times.
O Pulitzer, concedido pela Universidade de Columbia, é um prêmio anual para jornais, revistas e coberturas digitais. Em redações como The New York Times e The Washington Post, o Pulitzer é considerado o auge de toda carreira jornalística.
"Todas as ideologias e religiões têm suas próprias respostas para as grandes questões, mas elas geralmente estão ligadas como um dogma a algum tipo de tribo", disse ele.

"As religiões em particular apresentam elementos sobrenaturais que outras tribos, outras religiões, não podem aceitar ... E toda tribo, não importa quão generosa, benigna, amorosa e caridosa, menospreza todas as outras tribos. O que nos arrasta é a fé religiosa ".
"Humanos em todo o mundo têm uma forte tendência a se perguntar se um deus os está observando ou não. Praticamente todas as pessoas se perguntam se terão outra vida ", continuou Wilson.
"Estas são as coisas que unem a humanidade." Ele acrescentou que "a busca transcendente foi sequestrada pelas religiões tribais".
"Então eu diria que, para o progresso humano, o melhor que poderíamos fazer seria diminuir, ao ponto de eliminar religiões religiosas. Mas certamente não eliminando os anseios naturais de nossa espécie ou levantando essas grandes questões ”.
Wilson, que foi criado como batista no Alabama, disse que "se afastou" do cristianismo, mas não se refere a si mesmo como um ateu. "Eu sou apenas um cientista." O que você acha? Deixe seu comentário abaixo.
allowfullscreen>

Câmera de segurança captura uma criatura sinistra no estacionamento de uma casa no Colorado

Moarn Stjer, 11.06.19

Dos antigos hieróglifos egípcios à tradição dos inuits e das lendas urbanas de hoje, as criaturas míticas são parte integrante do folclore ou de histórias mitológicas. Desde que os humanos existiram, tem havido histórias de monstros, bestas lendárias e seres sobrenaturais inimagináveis. Também houve crenças sobre a existência de outros tipos de seres que habitam a terra ao lado da humanidade, mas que são invisíveis. Histórias sobre como eles viveram e as relações com o mundo humano foram transmitidas de geração em geração. Aqueles que têm dons especiais podem até vê-los ocasionalmente.
Esses seres em questão eram conhecidos por nomes diferentes e foram descritos de maneiras diferentes. Em toda a Europa setentrional havia histórias que apresentavam uma imagem semelhante, em forma humana ou muito semelhante, e que possuíam habilidades mágicas e uma natureza mais espiritual que os seres humanos. Até o início do século passado, eles estavam muito presentes nos povos de todo o mundo, mas à medida que o século 20 progrediu, eles perderam uma visão muito diferente do mundo.
O avanço da ciência e das religiões conspirou para promover e reforçar a visão moderna da natureza da civilização ocidental. Mas, felizmente, ainda existem lugares no mundo que mantêm essas crenças como a Irlanda ou a Islândia, o último refúgio dos elfos e dos seres ocultos. Mas, novamente, as redes sociais nos mostram que, às vezes, a mitologia é mais real do que parece. Uma mulher postou um vídeo em sua conta no Facebook que mostra uma criatura estranha semelhante a um elfo.

O estranho sendo

Vivian Gomez, que vive no estado do Colorado EUA, ficou chocado quando ele acordou e viu através das imagens de sua câmera de segurança que parece para ser uma criatura semelhante a um elfo andando perto de seu veículo que estava no estacionamento da sua residência.
allowfullscreen>

Dalai Lama revela que os extraterrestres "são como nós" (Video)

Moarn Stjer, 10.06.19

Quem ainda acredita que estamos sozinhos no universo? talvez aquelas pessoas que estavam desinteressadas nesse fenômeno porque as religiões nunca lidaram com essas questões ou as rejeitaram ... até agora.

Há poucos dias, uma nova voz autoritária juntou-se ao coro de guias espirituais e líderes religiosos que falavam publicamente sobre a vida no cosmos e a existência de outras formas de vida semelhantes às nossas.
Desta vez foi Sua Santidade o Dalai Lama, que abordou a questão durante uma reunião na Universidade de Portland (Oregon, EUA), intitulado "Responsabilidade Universal eo ambiente interno". Entre os primeiros a ouvir sobre isso, o jornalista Stephen Cook encontrou um artigo intitulado "O Dalai Lama revela que visitantes de outras galáxias são o mesmo que nós."
Durante seu discurso público, o Dalai Lama entrou no assunto recordando que "todos somos Um", todos os homens e todos os seres vivos têm dentro de si uma centelha divina, mas muito é o "medo" de ser diferente dos outros , para gerar em nós a distância interna e humana na origem do mal-estar e os problemas que pairam sobre o nosso planeta.
Estendendo este conceito, o Dalai Lama propôs um exemplo simples para o público. Como podemos perceber seres de outros mundos se os encontrarmos diante de nós? Diversidade causaria medo em nós! A natureza "diferente" desses seres em relação aos nossos, geraria distância entre as duas realidades, logo se tornando terror e gerando sentimentos negativos.
No entanto, o Dalai Lama declarou que devemos acolher e considerar os 'visitantes galácticos' como 'iguais a nós ... apertando as mãos, caso os possuam'. Palavras simples que estão no centro da questão em muitos níveis.
Nascido de uma costela do hinduísmo, por volta do século 6 aC. C., o budismo tem desde o início a "consciência" de que o cosmos não era o único lar da humanidade, mas que muitas outras formas de vida povoam sua imensidão desde as origens do tempo. Em um dos textos mais antigos do budismo, o Acchariyābbūtadhamma Sutta, no qual as palavras diretas de Siddharta Gautama são relatadas, um passo laborioso e sugestivo pode ser encontrado nesse sentido.
Falando do lugar onde os "deuses" residem e vivem, o Buda afirmou que eles estão nas "regiões escuras e negras submersas na escuridão, entre os sistemas dos mundos, onde a poderosa e majestosa luz do nosso Sol não pode alcançar" .
Passagens crípticas e sibilinos que são fortemente influenciadas pelas influências hindus que desde os primeiros tempos falavam dos Lokas, os planetas físicos nos quais os Devas residem, os deuses.
Outra referência atribuída ao Buda na "pluralidade de mundos habitados" pode ser encontrada no texto Tipitaka, "Os ensinamentos do Buda em três divisões" (Vol 11, p 61 e Vol 23, sutanta pidok 25, edição tailandesa) em que três planetas extra-solares chamados Amornrakoyan, Buppaviteha e Auttrarakuru são discutidos em detalhes.
No entanto, não é a primeira vez que o mais alto representante do budismo fala da vida no cosmos e de seres inteligentes em outros planetas. Já no início de 2000, o falecido professor John Mack, professor de psiquiatria em Harvard e estudioso do fenômeno do rapto, teve a oportunidade de falar com o alto representante do budismo e concordar com a real existência dos seres vivos em outros planetas e expor seus estudos. Sobre o fenômeno das abduções alienígenas.
Esta entrevista foi originalmente filmado e documentado para inclusão no documentário Dalai Lama Renaissance, wakan Films e Khashyar Darvich (2007), mas na pós-produção, os autores decidiram não incluir essa sequência. No entanto, uma entrevista posterior com John Mack deixou um rastro desse encontro excepcional que será encontrado no vídeo abaixo.
Uma nova página é escrita nos anais da nossa história, palavras que devem nos fazer refletir e meditar profundamente. Longe de faccionalismo e fanatismo, há apenas uma verdade, que pode ser alcançada através de diferentes caminhos, mas que parece levar todos a um mesmo objetivo.
Conforme expresso pelo Dalai Lama, lança nova luz sobre um conceito fundamental, a presença de outras formas de vida no cosmos, mas ao mesmo tempo nos mostra um caminho a seguir, um caminho que se encontra na pureza do coração e do coração. emoções, um modo de encontro e uma lição de humildade para poder aceitar o que parece ser diferente, considerando que é o mesmo para nós!
No entanto, até que possamos entender e aplicar este conceito em nosso planeta, será difícil objetivamente relacionar com os seres das estrelas.O que você acha? Assista ao vídeo abaixo e deixe seu comentário abaixo.
allowfullscreen>

Falsas memórias, eventos reais em universos paralelos

Moarn Stjer, 10.06.19

Você já esteve convencido de que algo em sua vida havia acontecido, mas depois descobriu que não era assim? Se assim for, parece que você experimentou o fenômeno conhecido como o Efeito Mandela . Essa maneira de lembrar eventos ou detalhes comuns surgiu pela primeira vez em 2010, quando inúmeras pessoas na Internet lembravam que Nelson Mandela havia morrido. Muitas pessoas estavam convencidas de que ele havia morrido na prisão durante os anos oitenta. Na verdade, Mandela foi libertado em 1990 e morreu em 2013 , apesar de algumas pessoas afirmarem que elas se lembravam das visões de seu funeral na televisão.
A consultora paranormal Fiona Broome foi quem cunhou o termo "Efeito Mandela" para explicar esse mistério coletivo, e então outros exemplos começaram a aparecer na Internet. Por exemplo, havia pessoas que se lembravam de que o C-3PO da saga Guerra nas Estrelas era de ouro, com uma de suas pernas sendo prateada. Broome afirmou que o Efeito Mandela surgiu do acesso a realidades paralelas ( o multiverso ). Isto é baseado na teoria de que existem versões alternativas de eventos, pessoas e objetos dentro de cada universo.

Acesso a outras realidades

Agora pense por um momento sobre o universo incompreensivelmente grande. Então, se você viajasse o suficiente, acabaria chegando a regiões quase idênticas às nossas . Isso porque, se você pegar um número finito de elementos e misturá-los em um número infinito de combinações, a chance acabará por reproduzir todos esses elementos. É como jogar tic-tac-toe: se você jogar bastante no final você vai se repetir. Portanto, em algum lugar, por acaso, pode haver uma Terra quase paralela em que uma versão quase idêntica de você está lendo este artigo na frente de um computador.
Assim, podemos dizer que o mundo ao nosso redor, guiado pelas leis da natureza, parece quase impecável no meio da evolução encantada da vida e da elegante geometria do cosmos. Os universos paralelos que residem no mesmo espaço são simplesmente separados pela frequência com que suas energias vibram. Quando algumas pessoas começam a manifestar o que são falsas memórias, desenvolvem a chamada "síndrome da visão do universo paralelo temporal".
Essa síndrome abre os olhos de uma pessoa para o caos quântico de uma realidade que a maioria de nós nunca vê. Eles são testemunhas de centenas de universos paralelos que acontecem ao seu redor ao mesmo tempo. Aqueles que têm esse tipo de experiência podem mostrar desorientação e tontura quando sabem que o que lembraram não é real em nosso mundo . Alguns também podem ter convulsões devido à sobrecarga de dados em seus cérebros. No entanto, aqueles que têm falsas memórias podem muitas vezes sofrer estresse físico e mental que poderia levar rapidamente a lesões graves e até a morte. Se você tiver más lembranças com alguma regularidade, pode entrar em contato conosco através do seguinte formulário .
Mas, além da possibilidade do universo paralelo, há também aqueles que dizem que nos movemos para além das três dimensões do espaço e consideramos a possibilidade de uma dimensão superior e invisível . Embora tal cenário possa parecer fictício, a realidade é que dimensões mais altas são uma parte vital da teoria das cordas e outras tentativas de unificar as forças naturais. Se existe uma dimensão superior além do espaço e do tempo, as falsas memórias são uma maneira de acessar tais dimensões.

Falsas memórias e o CERN

Uma teoria pragmática para explicar falsas memórias ou o Efeito Mandela está relacionada à Organização Européia para Pesquisa Nuclear (CERN) e ao Grande Colisor de Hádrons . Os experimentos do CERN visam encontrar partículas ilusórias que poderiam mostrar evidências de um multiverso , criar pequenos buracos negros ou descobrir a matéria escura. Embora tudo isso pareça muito empolgante, também é potencialmente perigoso. Enquanto os cientistas do CERN nos asseguram que seus experimentos são conduzidos em uma escala tão pequena e controlada que há poucas, se alguma, conseqüências negativas, alguns acreditam que sua intrusão em campos quânticos causou alguns efeitos estranhos, resultando em em algum tipo de entrelaçamento interdimensional.
Uma das partículas quânticas que o CERN está procurando é o gráviton. Essas partículas evasivas correspondem à maneira pela qual a gravidade reagiria entre diferentes dimensões e ainda são apenas hipotéticas, mas a maneira como o CERN as descreve é ??intrigante. Assim, as falsas memórias seriam causadas pela intromissão dos cientistas nos universos paralelos.
E qual é a opinião da ciência?
Os psicólogos explicam o efeito Mandela através da memória e dos efeitos sociais, especialmente da falsa memória. Isso envolve lembrar, por engano, eventos ou experiências que não ocorreram ou a distorção das memórias existentes. A criação inconsciente de memórias fabricadas ou mal interpretadas é chamada de confabulação. Na vida cotidiana, a confabulação é relativamente comum.
Falsas memórias ocorrem de várias maneiras. Por exemplo, o paradigma Deese / Roediger-McDermott (DRM) demonstra como o aprendizado de uma lista de palavras que contêm elementos relacionados, como "cama" e "travesseiro" , produz um falso reconhecimento de palavras relacionadas, mas não apresentadas, como "Dormir".
A imprecisão da memória também pode surgir do que é conhecido como "erros de monitoramento de origem" . São casos em que as pessoas não distinguem entre o real e o imaginado . O professor de psicologia americana Jim Coan, mostrou como isso pode facilmente acontecer através do procedimento "perdido no shopping". Isso fez com que Coan desse aos membros da família narrativas curtas descrevendo os eventos da infância. Um, sobre o seu irmão estar perdido em um shopping, foi inventado. Não só o irmão de Coan acreditava que o evento ocorreu, mas ele também acrescentou detalhes adicionais. Quando a psicóloga cognitiva e especialista em memória humana, Elizabeth Loftus, aplicou a técnica a amostras maiores, 25% dos participantes não reconheceram que o evento era falso.
Mas deixando de lado a explicação científica, a realidade é que enquanto nossos corpos permanecem em nosso próprio universo, nossas mentes viajam através de uma estranha variedade de possibilidades de universo paralelo . As falsas memórias são visões de universos paralelos? Se sim, como eles estão conectados?

Os cientistas afirmam que os testes de DNA mostram que o monstro do Loch Ness existe

Moarn Stjer, 09.06.19

Possivelmente, a criatura cryptozoological mais famosa da história é, sem dúvida, o monstro do Lago Ness. Também conhecido como Nessie, foi "descoberto" pela primeira vez em 565 dC; Uma biografia do monge irlandês menciona um gigante "animal da água" que arrasta um homem até a morte no rio Ness da Escócia. No entanto, o interesse real no monstro começou em 1933, depois que uma estrada foi construída ao longo do lago. Depois de alguns meses, várias pessoas afirmaram ter visto uma fera gigante perto da água. No ano seguinte, foi publicada a "fotografia do cirurgião", provavelmente a imagem mais conhecida da criatura.


E atualmente, mais de 1.000 avistamentos foram registrados e Nessie se tornou o assunto principal de documentários e pesquisas. Muitos cientistas tentaram provar (ou desacreditar) a existência do monstro. Em 2003, a BBC realizou a mais extensa busca de Nessie, utilizando sonar e via satélite de rastreamento 600 para explorar o lago, mas os investigadores não encontraram nada. Em 2017, a história do monstro de Loch Ness se tornou o mistério mais inexplicável no Reino Unido. Ninguém ainda provou que Nessie existe, mas isso tem sido até agora. Uma análise Nievo de amostras de ADN a partir de Loch Ness revelam todos os seres vivos no lago escocês, e pode mesmo revelar-se a existência de Nessie.


Nessie existe


Pesquisadores coletaram amostras de água das profundezas do lago e seqüenciaram traços de DNA. Eles identificaram 15 espécies diferentes de peixes no Lago Ness , junto com 3.000 tipos de bactérias que vivem na água. A catalogação da vida dentro do lago permitiu que especialistas testassem algumas das teorias sobre o monstro de Loch Ness , como o que é um réptil pré-histórico, ou simplesmente um grande peixe. Os especialistas vão revelar os resultados em julho de 2019.


Biólogo Neil Gemmell, da Universidade de Otago, Nova Zelândia, e seus colegas visitaram o lago misterioso com seu navio de pesquisa 'DeepScan', em homenagem a primeira explicação do lago em 1987. Eles tomaram amostras de água de três profundidades diferentes dentro do lago , a fim de coletar amostras de DNA que são encontradas nas águas. Este material genético vai revelar as diferentes criaturas do lago, que perdem as penas, pele, escalas e pele, ou depositado na água através das suas fezes ou urina.



Se Nessie existir, seu DNA também será coletado junto com outros animais que habitam o lago, como lúcios, salmões e trutas. Amostras de DNA coletadas no Loch Ness foram enviadas para sequenciamento e análise em laboratórios na Austrália, Dinamarca, França e Nova Zelândia. O professor Gemmell pretende anunciar os resultados do estudo na Escócia em julho próximo, embora haja a possibilidade de a data ser adiada para setembro. Mas o professor Gemmell já anunciou que os resultados são realmente surpreendentes.


"Há algo profundamente misterioso? ... Depende do que você acredita " , disse Gemmell ao jornal britânico Daily Mail . "Existe algo surpreendente? Há algumas coisas que são um pouco surpreendentes. O que conseguimos é o que nos propusemos para fazer, que é para documentar a biodiversidade de Loch Ness em junho 2018 com algum nível de detalhe ".


A equipe da Universidade de Otago usaram dados de DNA para sugerir hipóteses sobre a natureza do monstro de Loch Ness. Entre estas teorias é a ideia de que Nessie é um réptil marinho com um longo pescoço como um plesiossauro que sobreviveu a extinção dos dinossauros 66 milhões de anos atrás, e a possibilidade de que o monstro não é mais que um esturjão ou bagre gigante.


"Nós testamos cada uma das principais hipóteses dos monstros e três deles provavelmente podem dizer que eles não estão corretos e um deles poderia ser", acrescentou o professor Gemmell. "Nós nunca iremos refutar que existe um monstro, como dissemos no começo. Se não encontrarmos evidências do monstro, isso não prova nada. Tudo o que podemos fazer é descrever o que descobrimos. "


Foi planejado que as descobertas do estudo já fossem divulgadas, mas foi adiada devido a problemas com a filmagem de um documentário. Os pesquisadores estavam negociando com vários produtores , mas não chegaram a um acordo. Eles esperavam usar a coleção do documentário para financiar pesquisas adicionais.


"Tem havido uma tensão constante entre querer contar às pessoas o que encontramos e querer maximizar a forma pela qual elas são contadas. Acho que um documentário de televisão teria sido uma ótima maneira de documentar a busca e o que encontramos, e colocá-la no contexto de outros estudos do Loch Ness. Tem sido algo que eu trabalhei duro o suficiente " , concluiu Gemmell.



Parece que o professor Gemmell está insinuando que descobriu algo realmente incomum no lago Ness . Talvez estejamos diante da prova definitiva de que Nessie é muito mais do que uma simples lenda e existe realmente nas profundezas do lago. Outra possibilidade que Gemmell tem é apresentar sua descoberta à empresa japonesa de videogames Capcom , que em 2018 ofereceu um prêmio de $ 70.400 (aproximadamente € 56.000) para qualquer um que demonstrasse a existência de criaturas míticas, incluindo o monstro de Loch Ness. . Embora, se pensarmos melhor, talvez eles devam esquecer de mostrar se o Nessie existe ou não, porque, se os testes de DNA mostrarem que é real, então será definitivamente extinto.. Há coisas que é melhor deixar como estão. É disso que criptozoologia é tudo.


Você acha que o professor Gemmell vai revelar a verdade sobre o monstro do Lago Ness? Nessie deveria continuar sendo uma criatura cryptozoological?

Um círculo estranho e complexo aparece nas plantações na França que anuncia o iminente Apocalipse

Moarn Stjer, 09.06.19

Há muitas coisas estranhas neste planeta que podem ser atribuídas à presença extraterrestre em nosso planeta, seja uma cidade afundada ao largo da costa da Flórida, um triângulo no Atlânticoou a mutilação do gado . Alguns desses fenômenos podem ter uma explicação lógica e racional, mas há outros que desafiam nossa compreensão do que nos cerca. Estes são círculos em colheitas ou colheitas. Esses projetos são padrões estranhos que aparecem em culturas ao redor do mundo de uma maneira específica.


Em geral, exceto aqueles que foram criados por humanos, os cortes são tão limpos que parece que foram feitos por uma máquina. Embora as hastes estejam dobradas, elas não estão danificadas. Na maioria das vezes, a cultura continua a crescer normalmente. Às vezes, padrões são círculos simples, mas em outros casos, são desenhos elaborados que consistem em várias formas geométricas interconectadas. E foi o que aconteceu na França, onde os pilotos de um aeroclube ficaram surpresos no último fim de semana quando sobrevoaram um campo de trigo e viram um desenho bastante elaborado nas lavouras .


O estranho círculo


A formação estranha foi vista no sábado por membros do Aeroclube Les Ailerons d'Enghien Moisselles enquanto voava sobre uma área ao norte de Paris. Felizmente, um dos pilotos conseguiu tirar uma foto do estranho desenho na safra e depois publicou na página do Facebook do clube, o que levou a imagem a se tornar viral. Localizada na cidade de Moisselles, a formação consiste em uma série de círculos e semicírculos . Quanto ao que isso pode significar, uma teoria aponta que o projeto foi criado perto de uma pequena igreja chamada "Notre Dame de France".e parece estar no mesmo comprimento que a catedral de Notre Dame. Assim, alguns sugeriram que talvez a formação seja um tributo, de certo modo, à catedral que sofreu os efeitos de um incêndio devastador em abril passado.


 


Embora essa conexão provável pareça sugerir que o treinamento foi o trabalho de pessoas, em vez de extraterrestres, o piloto que originalmente descobriu o projeto postulou que isso pode não ser o caso. Ao especular sobre quem poderia ter criado o trabalho, ele pensou que não acreditava que eles fossem humanos , porque as colheitas não "mentem" e não são esmagadas. Ele também citou a natureza complexa do design e como ele apareceu durante a noite como prova de que, em sua opinião, as pessoas não poderiam tê-lo feito com meios familiares.


Então, qual é o seu significado?


Se excluirmos a possibilidade de que esse círculo nas plantações tenha sido criado por pessoas, uma piada ou uma estratégia publicitária já está começando, então temos uma mensagem para a humanidade . E não apenas os ufólogos ou teóricos da conspiração, mas também os cientistas, acreditam nisso. Em 2017, o Dr. Horace Drew , Ph.D. em Química pelo prestigiado Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), disse que os círculos nas plantações são reais e contêm mensagens ocultas de seres extraterrestres ou viajantes humanos no tempo . Dr. Drew também sugeriu que desenhos misteriosos são um método usado por alienígenas para tentar se comunicar com a raça humana.


Dito isto, especialistas no campo asseguram que existem fortes conexões entre o círculo de plantações e os alinhamentos cósmicos. Neste caso particular, há um aspecto espiritual e fala sobre próximos alinhamentos planetários e como eles afetam a atividade terrestre de nosso planeta, vulcânica ou sísmica.



Como mencionado anteriormente, este círculo de culturas está perto de uma pequena igreja chamada "Notre Dame de France" , que parece estar simetricamente alinhada, além de apresentar importantes ligações com a Virgem Maria e o conteúdo profético e astronômico de Apocalipse 12, que diz o seguinte:


Um grande sinal apareceu no céu: uma mulher vestida de sol, com a lua debaixo dos pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. E quando ela estava grávida, ela gritou em dores de parto, na angústia do parto. Outro sinal apareceu no céu: aqui está um grande dragão escarlate, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre suas cabeças sete coroas ”.


Ele está falando sobre a Segunda Vinda de Cristo para a Terra e a batalha contra o mal. Sem dúvida, quem quer que tenha criado o estranho círculo, a mensagem que ele queria enviar é a do iminente apocalipse . Além disso, temos que lembrar o fogo feroz que destruiu parte da Catedral de Notre Dame , cumprindo todas as profecias.


O que você acha desse círculo de plantações? É uma mensagem para a humanidade?

Reptiliano gravado na drenagem da Grã-Bretanha (Video)

Moarn Stjer, 09.06.19

Uma imensa quantidade de lendas que circulam por muitos anos menciona estranhas formas de vida que vivem sob a Terra. No entanto, essas legendas geralmente ficam na Internet e não saem de lá ... exceto exceções.

Há histórias de seres que vêm de um inferno escuro e possivelmente estão entre nós desde os tempos antigos, e é por isso que um dos vídeos mais controversos da história do YouTube é, sem dúvida, o que mostra uma estranha criatura de Aspecto reptiliano filmado em um dreno britânico, vídeo que muitos teóricos usaram para confirmar as teorias de que essas formas de vida vivem entre nós.
O mais assustador é que não é um único vídeo ou duas, mas quatro gravações publicadas na plataforma do YouTube. Outro ponto importante a ser observado é que ele não foi enforcado por algum ufólogo, ou por algum caçador de OVNIs que, normalmente, eles não têm muita credibilidade.
Os responsáveis ??pelo upload das gravações eram uma empresa, que é responsável pela água no Reino Unido, chamada United Utilities, em 31 de março de 2011. No dia seguinte, as notícias sobre os eventos estranhos registrados pela empresa estavam em todos os cantos do mundo. planeta
Muitos teóricos da conspiração, tanto em blogs e fóruns pessoais, começaram a discutir e analisar as imagens, assegurando que era uma criatura réptil. Outros, no entanto, mencionaram algum tipo de animal perdido, mesmo que fosse uma montagem. Mas o que uma empresa de águas residuais ganharia fazendo tal configuração?
A mídia do Leigh Journal foi a primeira fonte formal para coletar as imagens e revisá-las, recebendo declarações dos trabalhadores e responsáveis ??pela empresa.
Mike Wood, gerente regional do sistema de esgotos da United Utilities, disse que vários dos funcionários relataram avistamentos de algum animal estranho, então eles começaram a rever toda a rede de tubos com monitoramento de circuito fechado. Mas o que foi visto não foi exatamente um rato de esgoto.
Wood disse que no momento em que as imagens foram enviados para o YouTube, esperando que o público em geral para ajudá-los a descobrir o que era, ele também tinha a teoria de que poderia ser algum animal de estimação exótico que se extraviou, quer a partir de casa de alguém ou de um zoológico.
O que eles tinham seguro é que estava se alimentando dos depósitos de gordura que estavam se acumulando dentro dos canos.
No entanto, como os vídeos ganharam cada vez mais alcance, a teoria de que poderia ser uma criatura reptiliana começou a ter muito mais força entre o público e aqueles que estiveram interessados ??no evento.
Nas imagens que foram enviadas para o YouTube você pode ver uma criatura estranha com uma cauda longa e corpo muito semelhante ao de um réptil que cruza com a câmera do robô que a empresa tinha usado para monitorar a rede de tubulação no caso de alguns dos os drenos têm algum objeto preso ou há ninhos de ratos ou outros animais.
O evento se tornou tão popular que até mesmo as pessoas batizaram a criatura, chamando-a de "Messie", aludindo ao renomado monstro do Lago Ness.
No entanto, apesar dos primeiros vídeos que foram bastante ... curioso, não fez tal impacto e preocupação em todo o mundo como o quarto vídeo, onde você pode ver a criatura na frente da câmera, mostrando pernas longas, como as pernas e braços, com um claro aspecto humanóide.
No entanto, quando a câmera do robô se move para focar melhor, ela recua em alta velocidade pelo ralo.
Ainda sem explicação sobre o evento, a empresa nunca declarou que se tratava de uma campanha publicitária ou algo assim e a mídia não deu mais cobertura ao tema O que era aquela criatura?
allowfullscreen>

Cientistas prevêem o fim da civilização humana até 2050

Moarn Stjer, 09.06.19
Como a população humana aumentou para 7.500 milhões, a enorme pegada de nossa espécie no planeta Terra teve um impacto devastador sobre os mamíferos, aves, répteis, insetos e vida marinha. Trouxemos milhares de espécies à beira da extinção através da perda de habitat, caça e pesca descontroladas, introdução de espécies invasoras em novos ecossistemas, poluição tóxica e mudança climática.
Em um estudo realizado em 2014, nos últimos 40 anos, o número de animais silvestres foi reduzido em 50%. E o Fundo Mundial para a Natureza (WWF) estima que as populações de vertebrados, animais com colunas vertebrais mais altas, caíram em média 60% desde 1970. Os últimos 20 anos trouxeram um declínio 90 por cento no número de borboletas monarca na América e uma perda de 87 por cento das abelhas. Então, com todos esses dados, podemos dizer que estamos nos encaminhando diretamente para o verdadeiro apocalipse. No entanto, se alguém ainda tiver dúvidas, um relatório novo e perturbador sobre a mudança climática adverte que estamos à beira da extinção e afirma que existe "alta probabilidade". que a civilização humana chega ao fim em 2050.
Apocalipse iminente
Os autores do relatório assustador  argumentam que os impactos cada vez mais desastrosos da crise climática, juntamente com a falta de ação para enfrentá-lo, estão levando o nosso planeta a um mundo cada vez mais caótico que poderia acabar com as sociedades em todo o mundoO documento, preparado pelo Centro Nacional de Restauração do Clima, foi apresentado pelo ex-chefe da Força de Defesa Australiana e ex-almirante da Marinha Real Australiana, Chris Barrie.

Em sua introdução, ele explicou que os autores do relatório descobriram a verdade sobre a situação desesperadora em que os seres humanos e nosso planeta se encontram, pintando um panorama perturbador da possibilidade real de que a vida humana na Terra possa estar em perigo. de extinção , da maneira mais horrível. O documento argumenta que a mudança climática representa agora uma ameaça existencial da civilização humana a curto e médio prazo e pede aos governos que levem essa possibilidade mais a sério. Ele também argumenta que os impactos prejudiciais da degradação do clima, como o aumento da escassez de alimentos e água, agirão como catalisadores das instabilidades sociopolíticas existentes para acelerar a desordem e o conflito nas próximas três décadas.
Para se preparar de maneira útil para tal impacto, o relatório pede uma revisão da gestão de risco do país que é fundamentalmente diferente da prática convencional. A pesquisa foi liderada por David Spratt, diretor de pesquisa da Breakthrough, e Ian Dunlop, ex-executivo internacional de petróleo, gás e carvão, que trabalhou para a empresa Royal Dutch Shell e ex-presidente da Australian Coal Association. . Seu estudo oferece o que eles dizem ser um cenário plausível que fornece "uma visão de um mundo de caos absoluto".
Com base na falta de ações globais significativas para extinguir rapidamente todas as emissões de gases de efeito estufa na próxima década, os autores garantem que as emissões globais atingirão o pico em 2030 . Neste caso, usando vários estudos existentes, assume-se que as temperaturas médias globais podem chegar a 3 graus acima dos níveis pré-industriais até 2050. O efeito disso seria realizar o cenário "Greenhouse Earth" , no qual o planeta seria dirigido pelo menos a outro grau de aquecimento.
O gelo refletor do mar derreteria, aquecendo ainda mais os oceanos e elevando o nível do mar rapidamente. Haveria uma perda generalizada de permafrost, seca e morte em grande escala na Amazônia. América do Norte sofreria com extremos climáticos devastadores , incluindo incêndios florestais, ondas de calor, secas e inundações. As monções de verão na China serão comuns, e o fluxo de água para os grandes rios da Ásia será severamente reduzido pela perda de mais de um terço da camada de gelo do Himalaia. A perda de glaciares chegará a 70% nos Andes e a precipitação no México e na América Central será reduzida pela metade. E esse cenário levará o mundo para o caminho de 5 graus de aquecimento em 2100.
O documento observa que os cientistas já alertaram que o aquecimento de 4 graus é incompatível com uma comunidade global organizada, seria devastador para a maioria dos ecossistemas e não seria estável.
"Mesmo para 2 graus de aquecimento, é possível que mais de um bilhão de pessoas tenham que ser realocadas e, em cenários de alto nível, a escala de destruição está além da nossa capacidade de modelar, com uma alta probabilidade de que a civilização fim humano ", diz o relatório.
Os autores afirmam que o mundo não está atualmente preparado para prever, quanto mais lidar com as conseqüências de mudanças climáticas catastróficas, mas também apresentou recomendações que poderiam ajudar a mitigar os piores efeitos. Para reduzir esse risco e proteger a civilização humana, uma enorme mobilização global de recursos é necessáriana próxima década para construir um sistema industrial de emissão zero e iniciar a restauração de um clima seguro. Isso seria semelhante à mobilização de emergência da Segunda Guerra Mundial.
"Um futuro apocalíptico não é inevitável!", Disse Chris Barrie. "Mas sem uma ação drástica imediata, nossas perspectivas são ruins. Nós devemos agir coletivamente. Precisamos de liderança forte e determinada no governo, nos negócios e em nossas comunidades para garantir um futuro sustentável para a humanidade ".
Como podemos ver, estamos nos encaminhando para o verdadeiro apocalipse e desta vez não para as profecias ou profetas, e sim cientistas que gastaram tempo investigando os efeitos das mudanças climáticas. E o que está claro é que os governos não querem tomar medidas para evitar a catástrofe planetária iminente . Até mesmo o astronauta Buzz Aldrin alertou no início de maio que os Estados Unidos deveriam trabalhar pela "grande migração da humanidade para Marte " , como uma questão de sobrevivência da humanidade.
As últimas décadas da existência da humanidade? Estamos às portas do verdadeiro apocalipse?

Pág. 1/3